Resignificando a vida

O direito de ir e vir!

Depois de 1 ano morando no Porto (o tempo voa quando a gente se diverte), não tenho a menor dúvida sobre o principal motivo que me faz permanecer aqui.

Alguns me perguntam por que não escolhi morar em Lisboa: a capital do país, tem mais opções e também é uma cidade muito linda. Mas o que eu estava buscando, quando decidi por essa mudança de vida, era justamente uma vida mais tranquila, tipo vidinha no interior.

Porto não é exatamente uma cidade do interior e cada vez tem mais e mais turistas, o que garante à cidade uma movimentação durante quase todo ano. Mas, ainda assim, não tem aquela loucura de cidade grande.

A cidade é linda: fato, um céu azul com uma luminosidade que encanta: fato, a energia é diferenciada: fato, milhares de opções para degustar o prazer da gastronomia: fato. Sem falar na infinidade de vinhos maravilhosos e muito, muito baratos comparados aos vinhos vendidos no Brasil.

O verão não é úmido e nem tão quente quanto o calor do verão no “forno” alegre e o frio é gostoso. Também chove bastante, mas com isso já estava acostumada em Porto Alegre então, tudo bem.

Sempre várias opções para o lazer e muitos lugares para descobrir. Em cada esquina uma nova surpresa.

Praias lindas, serra com neve, transporte funciona e, andar a pé, embora as subidas e descidas, é uma delícia.

Um país com ótimas estradas e muitas com um visual incrível, onde rápido e facilmente se chega a algum lugar: dentro do próprio país ou nos países vizinhos. De carro, ônibus ou trem.

As pessoas são amáveis, dispostas a ajudar e sem intenção de tirar proveito.

Claro, vim pra cá buscando sossego e qualidade de vida.  Para quem vem em busca de trabalho, a situação não é tão fácil assim.

Não é um país pra ganhar dinheiro ou pra ficar rico, a não ser pra quem vier empreender, aí as chances podem ser melhores.

Mas é uma cidade encantadora, com tamanho de cidade do interior e um arsenal cultural do tamanho de São Paulo: sempre com eventos, feiras, exposições e shows acontecendo.

Tem vida na rua, todos os dias. De domingo a domingo, de dia e a noite.

Jovens, adultos, famílias, crianças e pessoas idosas saem nas ruas, sendo nos dias com sol, chuva, calor ou frio.

A cidade pulsa.

As pessoas não se abrigam dentro de casa ou vivem, como diz uma amiga: de garagem pra garagem. Não têm preocupação com a segurança como temos que ter no Brasil: cuidando sempre da bolsa ou do celular. Da pra andar de mochila nas costas e “exibir” o celular a vontade!

E sabem por quê? Porque aqui, as pessoas têm garantido o direito de ir e vir.

E esse é o motivo número 1 para eu estar vivendo aqui, nesta cidade linda: meu direito de ir e vir, quando eu quiser.

Serfelizsempressa no Porto: se melhorar estraga! Obrigada Senhor!

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *