Resignificando a vida

Estamos todos conectados!

Uma coisa que as pessoas sempre me perguntavam, quando eu contava sobre a minha mudança pra cá: se eu não sentiria falta dos muitos amigos do Brasil.

Claro que sinto saudades e sentirei sempre, mas a amizade é uma fortaleza solidificada em fundações de afeto e amor. Não será a distância geográfica que abalará esta construção.

Falo com meus amigos todos os dias. Sempre tem um que me manda um whats, um telefonema ou um comentário nas redes sociais. Difícil o dia que não falo com alguém.

Quando vou ao Brasil visitar a família, minha agenda de encontros é uma maratona. Amigos de ontem, de 30 anos, de infância, primas, do trabalho, me procuram pra marcar um encontro. Volto pra cá sempre super reenergizada de amor e afeto.

Tem amigos que me oferecem a casa, abrem a porta, te tratam como rainha e te dão a chave. Certo Lucia e Paulinho? Sempre muito bom ficar com vocês. Muito Obrigada meus amigos amados.

Outros amigos queridos também me oferecem “pouso” em suas casas. Não tenho mais casa em Porto Alegre, mas sempre terei um lugar para ficar quando lá estiver, além da casa da mamãe e do papai, é claro.

Amigos que ligam porque sentiram uma vibração e querem saber como estou, que provocam um encontro pra conversar. Não tem preço.

Primas queridas que fazem de tudo pra te encontrar, te dar adeus e sempre levam um presentinho de despedida, certo Carla?

Amigos que limpam a agenda de trabalho pra ficar uma tarde comigo! Amigos que organizam Confrarias especiais, que fazem jantares, almoços, happy hours, que ligam e mandam mensagens pra ver se conseguem me ver. Amigos que querem me levar pra passear na Serra. Enfim, uma corrente de amor e afeto poderosa.

Todos, absolutamente todos os meus amigos, moram no meu coração. E isto não é um clichê, é a mais pura verdade. Infelizmente, não consigo ver todos os amigos cada vez que vou a Porto Alegre. Mas sempre voltarei e sempre vou rever meus amigos, os novos e os antigos.

E tem aqueles que há muito tempo não vejo e que do nada ligam pra saber como estou. Uma amiga de Porto Alegre, que hoje mora em Londres, faz uns 3 anos que não vejo, um dia me ligou de Londres porque acordou pensando em mim e queria saber como eu estava aqui em Portugal. Outra, na mesma semana, ligou de Indaiatuba fazendo a mesma pergunta.

Por isso, por mais saudosa que eu fique e por maior que seja a falta que os amigos me fazem, eu sei que sempre estarão comigo.

A hora que eu quiser ou precisar, eles estarão sempre lá: por mim e para mim.

Longe geograficamente, mas perto do coração.

Então, estamos ou não estamos todos conectados?

You may also like...

4 Comments

  1. Adriana Cabelleira says:

    Amiga, está noite sonhei com você que estávamos naquelas conversas profundas de fundamento! Devido ao sonho passei o dia escutando tua voz, parecia que estava ao meu lado! “LONGE MAS PERTO DO MEU ❣️“

    1. Jan Castellan says:

      Que amor Adri. Sim amada,sempre perto do coração! bjs

  2. Cláudia Torres says:

    Conectados para a vida toda!!!

    1. Jan Castellan says:

      Sim Clau! desta e de outras vidas! Love U! bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *