Resignificando a vida

Acumuladora

Trabalhando em shopping há 21 anos e sem jeito pra guardar dinheiro, imaginem o que a pessoa não adquiriu e comprou de roupas, acessórios, sapatos, bolsas, bijuterias, roupas de cama, eletrodomésticos e tudo o mais que um shopping tem pra vender.

Sinceramente, hoje eu vejo que foi um exagero exagerado! Tipo aquela música do Cazuza. Aquela máxima que as mulheres são como centopeias em relação a sapatos, definitivamente foi criada pra mim!

Eu tinha sapatos de todos os tipos, modelos e cores: uma infinidade. E claro, as bolsas teriam que combinar. Então, podem ter uma ideia de quantas bolsas eu tinha.

Quando eu gostava de uma camiseta, logo comprava uma de cada cor.

Roupas de festa, adoro brilho! E como eu sempre brinco que eu nasci pra brilhar, não podia ver uma roupa de festa que tivesse um brilho e que achasse o preço bom, que eu comprava: vá que um dia eu fosse precisar!!

Calças pretas, uma coleção! Jeans, outra coleção.  Casacões de inverno, um de cada cor!

Óculos de sol? Abafa!!!  Com certeza, poderia abrir uma loja.

E como faz pra se desfazer disso tudo?  Sim, não teria como trazer tudo: além de pagar um absurdo de bagagem extra, onde eu iria morar, com certeza, não teria espaço para aguardar meu estoque de mega acumuladora.

Catei uma arara com umas amigas, liberei um quarto e montei uma mini loja dentro de casa. Marquei pequenos encontros com grupos de amigas e comecei a vender. E vendi e vendi e o estoque parecia que não diminuía nunca.

Foi muito engraçado, tinha roupas com etiquetas e sapatos nunca usados. As gurias (meninas aqui em Portugal) ficavam loucas: mas Jan tu vais vender isto? E assim, fui vendendo e o estoque lentamente foi diminuindo.

Depois de meses vendendo tudo o que era possível, consegui me desfazer da maioria. Nas últimas semanas, quando tive que entregar o apartamento, doei muitas coisas como livros, roupas, sapatos e objetos.

O melhor disso tudo é que eu estava amando me desfazer das coisas, foi como se cada peça que eu vendesse significasse retirar uma camada da Janine.

Foi como uma cebola. Só que o resultado foi a leveza e com perfume!

You may also like...

8 Comments

  1. Priscila Barreto says:

    Muito bom!!! Texto agradável, delícia ler!

    1. Jan Castellan says:

      Obrigada pelo prestigio e pelo carinho Prizinha. bjs

  2. Cláudio Agra says:

    Que bom que conseguistes te desapegar. A leveza que deve ter te proporcionando, imagino que foi maravilhosa. Temos que exercitar com mais frequência o desapego. Paz e luz para ti. Bjos.

    1. Jan Castellan says:

      Sim Claudio, junto com o fechamento de um ciclo uma grande mudança de vida e, a principal, foi o desapego e a troca do ter pelo ser. Realmente muito bom.
      Muito obrigada pelo carinho! Paz e luz pra nós! bj

  3. Que orgulho de você Janine! Obrigado por compartilhar tua coragem e experiência de desapego. Com carinho ????????

    1. Jan Castellan says:

      Oi Rita, tudo bem? Coisa boa te encontrar por aqui.Estou feliz em colocar meus sentimentos e as pessoas estarem gostando.
      Muito obrigada pelo carinho e pelo prestigio querida. Bjs

  4. sonia maria de paula says:

    Lindo! bora se apegar pela vida!

    1. Jan Castellan says:

      Oi querida. Que bom te encontrar aqui. Muito obrigada pelo prestigio e pelo carinho. bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *